19 de julho de 2013

Confira algumas sugestões de acessórios que podem compor a decoração

Toda casa precisa de acessórios. Alguns ganham mais destaque por sua beleza, enquanto outros estão na residência apenas por sua funcionalidade. Mas existem aqueles essenciais para o lar.

A arquiteta Andréa Parreira selecionou dez itens obrigatórios que ajudam a compor a decoração, atribuindo vida e alma à residência. Veja abaixo:

Cortinas: elas vestem os ambientes e têm restrição apenas na cozinha. Há variados tipos, que se adéquam ao estilo e necessidades do morador, que podem ser de proteção, beleza ou mesmo privacidade.

Tapete: estão disponíveis em materiais variados, como sintético, lã, algodão e couro, e dão sofisticação ao espaço. A única observação é para a tonalidade. Os de listras e estampados precisam ser integrados aos demais itens presentes na casa.

Almofadas: desempenham a função de acomodar melhor as pessoas no sofá e, ao mesmo tempo, enfeitam o ambiente. Alguns modelos podem ganhar uma nova capa e, assim, renovar as cores da sala.

Abajur: garante uma iluminação indireta aconchegante e suave à sala, ao quarto ou a um cantinho reservado da casa. Na gama de opções, há os modelos clássicos, com cúpula em tecido, e os modernos, que têm design arrojado e, em geral, são de metal.

Mesa de centro: esse é um dos móveis com mais chances de inovação no design, já que pode variar no formato, cor, material. Uma regra para não errar na escolha do item, que funcionacomo apoio de alguns objetos, é manter o seu tamanho proporcional ao tamanho da sala.

Mesa lateral: serve de apoio para pequenos objetos como um telefone, abajur ou vaso decorativo, por isso desempenha ampla função na sala de estar.

Vasos e plantas: as plantas naturais, se dispostas em vasos adequados, alegram, perfumam e harmonizam a casa. Mas vale lembrar que cada tipo de planta exige cuidados, como insolação, umidade e ventilação, para sobreviver. Outra opção é dispor vasos decorativos, mesmo sem plantas, sobre estantes, prateleiras ou mesinhas laterais, conferindo charme e ressaltando as tonalidades da decoração do local.

Objetos decorativos: lembranças de viagens em família ou itens que traduzem a personalidade dos moradores são importantes para dar vida ao lar. Livros, quadros e peças de arte, por exemplo, também se encaixam nessa categoria.

Porta-retrato: com a chegada da era digital, esses objetos acabaram esquecidos, no entanto, os registros das histórias vividas, sejam elas divertidas, memoráveis, alegres ou que causam saudades, precisam estar integrados à composição dos espaços.

Espelhos: famosos pela amplitude que proporcionam, esses itens também valorizam e causam sensações. São bem-vindos em todos os ambientes, em uma pequena moldura ou para revestir uma parede, por exemplo.

“De maneira geral, a decoração precisa revelar o estilo dos proprietários e, mais, ela deve contar a história das pessoas que moram na casa, construída com o passar dos anos e a vivência em família. Essa é a real essência e a diferença entre a casa produzida e publicada em revistas e o lar efetivo”, finaliza Andréa.

 


0 comentários